Para discutir a sustentabilidade no meio musical de pequeno e médio porte no mercado atual é preciso rever conceitos, misturar ideias e experimentar. Essa é a proposta do Sonâncias, mistura de seminário, festival e rodada de negócios que acontece em BH entre os dias 27 e 30 de outubro, na A Autêntica. Em cada dia de evento será realizado um debate temático com profissionais relacionados ao mercado musical, um showcase de 30 minutos e um show de encerramento. Ao todo, serão 8 shows e 25 participantes das mesas de discussão. Os debates acontecerão entre 19h e 21h e terão entrada gratuita até das 19h30. Após esse horário será cobrada a entrada que também vale para o show, nos valores de R$ 15 (antecipada) e R$ 20 (na portaria). Ou seja, quem chegar até 19h30 pode participar dos debates e assistir aos shows de graça.


 

27/10 (terça)

19h _ CONVERSAS: Música e mercado

Coy Freitas (SP): Diretor artístico da plataforma Skol Music, que reúne artistas como Karol Conká e Boogarins.
Fernanda Bas (RJ): Coordenadora de marketing digital na Som Livre / Slap.
Fernando Dotta (SP): músico e sócio do selo Balaclava Records (SP)
Yannick Falisse (Bélgica) e Leonardo Marques (BH): Músicos e proprietários do selo belga/belorizontino La Femme Qui Roule.
Marcos Boffa (BH/SP): Curador dos festivais Planeta Terra e Sónar SP, diretor artístico da casa de shows Audio Club. Um dos criadores da Motor Music e do festival Eletronika.
– Mediador _ Rômulo Avelar: Administrador e gestor cultural. Consultor de grupos e entidades como o Grupo Galpão e a Casa do Beco. Autor do livro “O Avesso da Cena: Notas sobre Produção e Gestão Cultural”.

22h _ SHOWS

Pequeno Céu (BH)
O Pequeno Céu começou como uma one-man band de Manoel Horta, filho de Toninho Horta, e em 2009 lançou seu primeiro trabalho. A partir de 2011 o projeto foi ampliado e se tornou uma banda, lançando o disco Sargaço no fim de 2014. Musicalmente, é uma mistura entre a música popular brasileira e o math-rock. Atualmente preparam o material para um novo disco.

Young Lights (BH)
Um dos destaques da nova cena indie belorizontina, a Young Lights é liderada por Jairo Horsth, brasileiro criados nos EUA e que, ao retornar ao Brasil, trouxe na bagagem as influências folk e indie que definem o som da banda.

28/10 (quarta)

19h _ CONVERSAS: Música e mídia

Alexandre Matias (SP): Editor do Trabalho Sujo. Foi editor do caderno Link do jornal O Estado de S. Paulo, diretor de redação da revista Galileu, e editor-chefe do projeto Trama Universitário.
Fabiana Batistela (SP): Fundadora da Inker Agência Cultural e diretora geral da Semana Internacional da Música de São Paulo. Jornalista, foi repórter da revista Bizz.
Guilherme Guedes (RJ): Jornalista, apresentador do Multishow, Canal Bis e parte da equipe do site Tenho Mais Discos que Amigos.
Paulo Proença (SP/BH): Jornalista, cofundador e o gestor de conteúdo do site de entrevistas Motif. Também é editor de conteúdo web na Rádio Inconfidência.
– Mediador _ Daniel Barbosa (BH): Jornalista do caderno de cultura do jornal O Tempo. Curador de projetos como Natura Musical, Música Minas, Vozes do Morro e Música Independente.

22h _ SHOWS

Baleia (RJ)
Um dos principais representantes do novo rock alternativo produzido no Rio de Janeiro, a Baleia começa a divulgação do seu novo álbum depois de lançar o seu elogiado primeiro disco, Quebra Azul, com o qual saiu em turnê pelo Brasil, se apresentou ao lado de Elza Soares e chegaram ao palco principal do festival Lollapalooza.

Reallejo (BH)
Reallejo é o projeto solo do músico André Geraldo (Garoa e Pássaro Homem) que pesquisa o diálogo entre instrumentos acústicos, eletrônicos, imagens e parafernálias em geral.

29/10 (quinta)

19h CONVERSAS: Música e palcos

Mancha (SP): Proprietário do espaço Casa do Mancha, principal palco da cena indie paulistana.
Gutie (PE): Jornalista e produtor cultural, diretor do festival pernambucano Rec-Beat, realizado durante o carnaval do Recife.
Bruno Golgher (BH): Idealizador e curador do Savassi Jazz Festival e proprietário do Café com Letras.
Victor Diniz (BH): Sócio da produtora Híbrido, responsável pelo festival S.E.N.S.A.C.I.O.N.A.L., dentre outros. Também é sócio-proprietário do Baixo Centro Cultural.
– Mediador _ Leo Moraes: Músico e sócio-proprietário da casa de shows A Autêntica e do Estúdio Pato Multimídia.

22h _ SHOWS

Câmera (BH)
A banda já abriu shows de artistas como Stephen Malkmus e Real State, tocou no festival Primavera Sound (Barcelona) e teve seu álbum de estreia eleito um dos melhores de 2014 por veículos como Rolling Stone, MTV, Popload e Vice. No Sonâncias a banda celebra um ano do lançamento de seu primeiro disco e logo na sequência viaja para se apresentar nos festivais Coquetel Molotov (Recife) e Mundo (João Pessoa).

Douglas Din (BH)
Campeão do Duelo de MCs nacional por dois anos consecutivos, Douglas Din é a maior promessa do hip hop mineiro atualmente.

30/10 (sexta-feira)

19h _ CONVERSAS: Música e política

Pena Schmidt (SP): Diretor do Centro Cultural São Paulo; também foi superintendente do Auditório Ibirapuera/SP, presidente da Associação Brasileira de Música Independente e diretor da gravadora Warner.
Murilo Pereira (BH): Chefe do Departamento de Fomento e Incentivo à Cultura da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte.
Felipe Amado (BH): Superintendente de Fomento e Incentivo à Cultura da Secretaria de Cultura de Minas Gerais.
Carlos Paiva (BSB): Secretário de Fomento e Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura.
Leonardo Beltrão (BH): Coordenador de projetos e programação do Sesc Palladium. Foi gerente de projetos do museu Inhotim e diretor de projetos do Instituto Cultural Sérgio Magnani.
– Mediador _ Gabriel Murilo (BH): Mestre em Música e Cultura pela UFMG e sócio da Embaixada Cultural. Foi um dos coordenadores do programa Música Minas e baixista do Macaco Bong.

22h _ SHOWS

Banda Gentileza (PR)
Divulgando o recém-lançado e elogiado disco Nem vamos tocar nesse assunto, a Banda Gentileza estreia em BH no Sonâncias. Seis anos após o disco de estreia e após sofrer algumas mudanças de formação, o agora quarteto rearranjou a proposta sonora, mas manteve a estranheza pop.

Mordomo (BH)
O show no Sonâncias será a primeira apresentação pública do Mordomo e marca também o lançamento oficial de seu primeiro disco. A banda faz um som autoral e polifônico que se espalha por influências que vão da MPB clássica ao jazz de cabaré dos anos 40.