Representante da nova MPB carioca, Qinho lança disco em BH

Flávio Renegado e Pedro Morais são os convidados especiais do show que acontece no dia 16 de abril na Autêntica.

Nos últimos dois anos a vida e a música de Qinho mudaram. Muito. Ele casou, se mudou, teve um filho, fez shows em palcos, nas ruas, e, aos poucos, compôs, gravou e produziu um disco novo enquanto passava dos 28 aos 30 anos. Agora, passada a turbulência, é hora de mostrar o que ele registrou da travessia.

O resultado está em seu terceiro disco solo, Ímpar. Nele, Qinho se expressa — através de uma série de contrastes de imagens, palavras e sons — como um alguém mais complexo e multifacetado que o de anos atrás. Revela-se, ao mesmo tempo, mais indefinido e mais inteiro, quem sabe por ter decidido se mostrar “mais partido, fragmentado, imperfeito mesmo”, como ele diz ao refletir sobre o título do álbum:

— Mostrar o ímpar é deixar o lado menos harmônico à mostra. Ímpar também tem a ver com o que é único em cada um, aquilo que é singular, diferente. Às vezes não é fácil bancar isso, desagrada, mas também é uma aposta em algo especial — diz.

Nascido em Brasília e criado no Rio de Janeiro, Qinho surgiu na cena musical carioca com a banda VulgoQinho&OsCara e, na sequência, lançou os discos solo Canduras, em 2010, e O Tempo Soa, em 2012, destacando-se junto à vertente mais indie da MPB local. Em seu novo trabalho, lançado em março deste ano e disponível para download no site do artista (qinho.com.br), a sonoridade mistura elementos orgânicos e eletrônicos, com uma proposta pop, mas carregada de experimentalismo.

Ao longo de Ímpar, Qinho não pesa a mão para imprimir uma imagem radicalmente oposta ao que seus fãs conhecem e admiram. Prefere, como a arte da capa indica — uma foto que registra seu rosto em movimento, disforme —, acentuar a experiência de um momento de transição, marcado por choques e fusões de um lado com o outro, do par com o ímpar. “A ação, nesse disco, é mais parecida com a de um golpe, no sentido de entrar em choque com algo, uma imagem ou um lado meu estabelecido, quebrar esse par”.

No show de lançamento do disco em BH, que acontece n’Autêntica a partir das 20h de 16 de abril, quinta-feira, Qinho contará com as participações especiais de dois artistas mineiros de sua geração: Flávio Renegado, com quem Qinho já se apresentou no Rio, e Pedro Morais. Além dos mineiros, Qinho será acompanhado por sua banda base formada por Bruno Di Lullo (membro do Tono e parceiro de artistas como Domenico Lancelotti e Alice Caymmi), Theo Zagrae (Mart’Nália), Lucas de Paiva (da banda indie Séculos Apaixonados), Rodrigo Braga (Dois do Samba) e Guilherme Marques.

O show de abertura ficará por conta do Minimalista, projeto solo do mineiro Thales Silva, vocalista da banda A Fase Rosa, que em 2014 lançou seu primeiro disco e teve boa repercussão junto à mídia indie. Antes e no intervalo entre os shows, o público ouve seleções musicais feitas pelo DJ Meio Desligado, autor do blog de mesmo nome e especializado em música independente brasileira.

Os ingressos para a noite custam R$ 25 e há também um pacote promocional, com ingresso e o CD Ímpar, por R$ 30. As compras podem ser feitas pelo site sympla.com.br/aautentica

 

SERVIÇO

Qinho – show de lançamento do CD Ímpar

Participações de Flávio Renegado e Pedro Morais

Show de abertura: Minimalista

DJ Meio Desligado

16 de abril, quinta-feira, 20h

Ingressos: R$ 25

A Autêntica (Rua Alagoas nº 1172, Savassi, BH/MG)

Info: (31) 3654-9251 / contato@aautentica.com.br

Add a comment